Governador do Amazonas é alvo de operação da PF

A ação atinge secretrário de Saúde por desvios de recursos da covid-19



Por:Jornal NC - Publicado em 02/06/2021

Governador do Amazonas é alvo de operação da PF

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), é um dos alvos de uma operação da PF (Polícia Federal) realizada que investiga desvios de recursos públicos destinados ao enfrentamento da pandemia da covid-19 no estado. O secretário estadual de Saúde, Marcellus Câmpelo, é alvo de um mandado de prisão, mas não foi localizado.

Segundo o MPF (Ministério Público Federal), policiais federais foram recebidos a tiros ao cumprir um dos mandados. Não houve feridos, segundo o órgão. Agentes da PF foram à residência e ao gabinete de Lima cedo para cumprir mandados de busca e apreensão.

A ação, a quarta fase da Operação Sangria, cumpre ao todo 25 mandados judiciais realizados pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), em Manaus e Porto Alegre, sendo 19 deles de busca e apreensão e seis de prisão temporária (com prazo de cinco dias). Os nomes dos alvos não foram divulgados.

Veja Também: Destino de indiciados pela CPI da Covid estará nas mãos de Augusto Aras

A operação ocorre no mesmo dia em que o STJ iria começar a análise sobre se receberia uma denúncia oferecida pela PGR (Procuradoria Geral da República) contra Lima por supostos crimes no combate à pandemia. O tema, porém, foi retirado de pauta após a defesa de Lima ter alegado que ainda faltavam “etapas do contraditório”. Não há uma nova data prevista para o julgamento.

No início da sessão do STJ, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo confirmou que a PF foi recebida a tiros no cumprimento de mandados. “A Polícia Federal foi recebida a tiros pelo filho do Nilton Lins (Nilton Costa Lins Júnior)”. Foi uma situação bastante constrangedora, e perigosa, lá em Manaus. Nilton Costa Lins Júnior é um empresário dono Hospital Nilton Lins, em Manaus, que foi alugado pelo governo estadual para funcionar como hospital de campanha. Na sessão do STJ, Lindôra também afirmou que Marcellus Câmpelo é considerado foragido.

A operação foi autorizada pelo ministro Francisco Falcão. Ele determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de 27 pessoas e empresas. “Também houve o sequestro de bens de 12 investigados, em valor que supera R$ 22,8 milhões”, informou o MPF. Os indiciados pela PF poderão responder por diversos crimes, entre eles, fraude de licitação, peculato e pertencimento a organização criminosa. Se condenados, a pena dos suspeitos pode chegar até 24 anos de reclusão.

Curta nossa Fanpage no Facebook

Seu Portal de últimas notícias das cidades de Barueri, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Osasco, São Paulo e região de Alphaville e Granja Viana.

Publicidade


Contato

Telefone
(11) 9 8476-9654

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 - 2021 - Jornal NC. Todos os direitos reservados