“É melhor eleger um mágico”, diz Haddad sobre passe livre



Por:Jornal NC - Publicado em 28/01/2016

“É melhor eleger um mágico”, diz Haddad sobre passe livre

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), afirmou nesta quinta-feira que os defensores do passe livre deveriam eleger “um mágico” nas eleições municipais de outubro deste ano porque um prefeito não daria conta de bancar a gratuidade total de ônibus. Haddad disse ainda que há “outras coisas que poderiam vir à frente” do passe livre, como almoços grátis e uma viagem à Disney.
— Eu não prometi passe livre para estudante na campanha. Pediram passe livre para os estudantes. Foram para a rua. Demos o passe livre — afirmou. — Agora, querem passe livre para todo mundo. Então, é melhor eleger um mágico em outubro porque um prefeito não vai dar conta. Aí para terminal, para não sei quê. A imprensa (questiona): ‘Você não vai dar passe livre para todo mundo?’ Dá vontade de falar: mas como é que você tem coragem de me fazer uma pergunta dessas?
A declaração foi dada durante discurso em agenda pública em Santo Amaro, zona sul da capital.
— Mas por que não um almoço grátis? Tem tanta coisa que podia vir à frente. Podia ter almoço grátis, jantar grátis. Ida para a Disney grátis — disse o prefeito.
A tarifa de ônibus, metrô e trem subiu de R$ 3,50 para R$ 3,80 no dia 9 de janeiro. O Movimento Passe Livre (MPL) marcou para esta quinta-feira o quinto ato contra o aumento da tarifa, no Terminal Parque Dom Pedro II, às 17 horas.
A gestão Haddad argumenta que o aumento dos custos é resultado das políticas de incentivos tarifários, como o passe livre estudantil, implementado em fevereiro de 2015, o bilhete único mensal e a gratuidade para desempregados.
Nesta quinta, o prefeito disse ainda que o custo anual da gratuidade somente para estudantes é de R$ 700 milhões. Após relacionar passe livre com viagem à Disney, Haddad pediu que o debate sobre o passe livre total seja feito com seriedade.
— R$ 700 milhões e não resolveu o problema. Sabe quantos CEUs (Centros Educacionais Unificados) dá para construir com R$ 700 milhões ao ano? 20. Sabe quantos hospitais construo com R$ 700 milhões? Quatro. A situação é de seriedade — destacou. — Ao todo, os gastos com todas as gratuidades chegam a R$ 2 bilhões — disse.
Haddad voltou a afirmar que a implementação do passe livre total custaria à Prefeitura o mesmo valor arrecadado com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Com a tarifa zero, a administração municipal teria de gastar R$ 8 bilhões por ano em subsídios.

Veja Também: Duas chapas se dividem sobre detalhes para eleição do líder do PMDB na Câmara


— Passe livre para todo mundo custa todo o IPTU da cidade. Eu precisaria pegar todo o IPTU da cidade, tirar da educação, tirar da saúde, tirar da cultura, tirar de tudo para dar isso aí.
O prefeito explicou que, para discutir tarifa zero, seria necessária uma fonte de financiamento extra. Um dos caminhos, defendeu ele, é a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que propõe a municipalização dos tributos que incidem sobre a gasolina, como a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).
— A proposta dos prefeitos do Brasil inteiro, não é a proposta de São Paulo, é que essa PEC seja aprovada porque nós teríamos aí uma fonte de financiamento para a tarifa de transporte público — disse.
De acordo com Haddad, a PEC tem Comissão Especial, presidente e relator instalados desde 15 de dezembro.
— Se vamos ampliar as categorias, precisaríamos ter uma fonte de financiamento. E a proposta é municipalizar o tributo sobre a gasolina. Porque aí teríamos, todos os prefeitos, condição de avançar nessa pauta.Curta nossa Fanpage no Facebook

Seu Portal de últimas notícias das cidades de Barueri, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Osasco, São Paulo e região de Alphaville e Granja Viana.

Publicidade


Contato

Telefone
(11) 9 8476-9654

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2019 - Jornal NC. Todos os direitos reservados