Garoto de quatro anos tem prisão perpétua decretada por assassinatos que “cometeu” com um ano de idade

Justiça já reconheceu o erro

Publicado em 26/02/2016

Um menino de quatro anos foi condenado à prisão perpétua por assassinato e outras infrações “cometidas” quando ele tinha apenas um ano de idade.
O caso de Ahmed Mansour Karmi causou comoção: um advogado chegou a dizer que ‘este é um exemplo de como não há justiça no Egito’.
Seu advogado de defesa afirmou que o nome da criança havia sido adicionado à lista por engano e que o tribunal falhou por não encaminhar a certidão de nascimento, para provar que o garoto tinha apenas um ano de idade quando os crimes ocorreram.


Veja Também: Série de atentados terroristas deixa cerca de 150 mortos na Síria

Al-Sayd, o advogado de defesa disse: “a certidão de nascimento da criança foi apresentada depois que o nome dela foi adicionado à lista de acusados, mas o caso já tinha sido encaminhado ao tribunal militar e a criança foi condenada à revelia em uma audiência judicial que se seguiu”.
“Isso prova que o juiz nem leu o caso” afirma.
Desde 2013, o Egito tem sido governado por uma ditadura militar. O atual Presidente do país é Abdel Fatah al-Sisi.
Os réus foram todos acusados de quatro crimes de homicídio, tentativa de homicídio, vandalismo e desacato a autoridades.


Publicidade


Contato

Telefone
(11) 98983-6042

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2018 - Jornal NC. Todos os direitos reservados