Santos defende pênalti, Brasil vence o México e disputará o bi olímpico

O goleiro defendeu a cobrança de Eduardo Aguirre e o gol decisivo foi marcado por Reinier, em Kashima



Por:Jornal NC - Publicado em 05/08/2021

Santos defende pênalti, Brasil vence o México  e disputará o bi olímpico

O Brasil venceu o México por 4 a 1 nos pênaltis depois de empate sem gols no tempo normal e na prorrogação e se classificou para a final do futebol masculino nas Olimpíadas de Tóquio. O gol decisivo foi marcado por Reinier, em Kashima.

Santos defendeu a cobrança de Eduardo Aguirre e viu a de Johan Vásquez bater na trave — Carlos Rodríguez foi o único que acertou pelos mexicanos. Daniel Alves, Gabriel Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier marcaram pelo Brasil.

É a terceira final seguida de Jogos Olímpicos do Brasil, que defende o ouro conquistado na Rio-2016. A final das Olimpíadas será no Estádio Internacional de Yokohama, contra a Espanha. Já a disputa pela medalha de bronze entre México e Japão será em Saitama.

Mais lateral do que meio-campista, Daniel Alves foi o melhor do Brasil porque usou sua experiência para evitar lances de precipitação, como foi rotina com os atacantes, e organizar de trás o jogo da equipe. À vontade, o lateral-direito mostrou muita facilidade para o jogo de trocas de passe curtas e ainda teve uma das melhores chances de gol ainda no primeiro tempo, em cobrança de falta defendida por Ochoa.

Veja Também: Ítalo Ferreira conquista 1ª medalha de ouro olímpico do surfe para o Brasil

Num jogo sem inspiração, foi ele uma das únicas fontes de desafogo. Na responsabilidade da cobrança do primeiro pênalti, colocou o Brasil em vantagem e comandou a festa.

Diferentemente dos outros adversários do Brasil nas Olimpíadas — com a exceção da Alemanha —, o México tentou pressionar a defesa do Brasil e criou chances de gol desde o começo.

A marcação encaixada de Luis Romo e Córdova (depois Ricardo Angulo) sobre Douglas Luiz e Bruno Guimarães fez a dupla de volantes sofrer para sair jogando e ainda ter que ocupar espaços defensivamente, o que forçou erros de passe e duelos pessoais perdidos. Com eles anulados e pressionados, tanto é que ambos tomaram cartão amarelo, o Brasil sofreu muito.

A lesão de Matheus Cunha abriu espaço para Paulinho na escalação original da seleção brasileira. Para além dessa mudança de jogador, o time mudou um pouco a forma de jogar.

Diferentemente do que aconteceu contra times mais defensivos nos jogos anteriores, Arana ficou mais retraído para dar conta dos contra-ataques em velocidade do México e o Brasil atacou com três ou quatro jogadores, a depender do posicionamento de Claudinho. O time teve mais posse de bola no primeiro tempo, mas a impressão foi que o jogo nunca esteve controlado.

Curta nossa Fanpage no Facebook

Seu Portal de últimas notícias das cidades de Barueri, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Osasco, São Paulo e região de Alphaville e Granja Viana.

Publicidade


Contato

Telefone
(11) 9 8476-9654

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 - 2021 - Jornal NC. Todos os direitos reservados