Mulheres são exploradas na Síria em troca de ajuda humanitária

Em alguns lugares da Síria os acessos dos órgãos não governamentais internacionais são difíceis e a ajuda cabe a autoridades locais, que são acusadas de exploração sexual



Por:Jornal NC - Publicado em 01/03/2018

Mulheres são exploradas na Síria  em troca de ajuda humanitária

Mulheres foram exploradas sexualmente por homens que prestam serviços e atuam em nome das Nações Unidas e de outras organizações internacionais de caridade na Síria.
Relatos revelam que comida e carona são ofertadas em troca de sexo na região. Uma pessoa que trabalha na região afirma que algumas organizações estão simplesmente fechando os olhos para os casos de abusos e exploração sexual porque a única forma de levar ajuda às áreas mais perigosas da Síria é por meio de autoridades locais e de terceiros. Nas áreas onde o conflito é mais intenso, funcionários das organizações não governamentais internacionais dificilmente têm acesso.
O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), organismo da ONU responsável por questões populacionais, produziu um relatório para avaliar a violência de gênero na região em 2017 e concluiu que a assistência humanitária está sendo ofertada em troca de sexo em várias regiões da Síria.

Veja Também: Terrorismo jihadista matou mais de 13,6 mil pessoas em 2017

Os casos já começaram a serem denunciados à 3 anos, quando Danielle Spencer trabalhava como consultora para assuntos humanitários para uma instituição de caridade e ouviu relatos de um grupo de mulheres sírias em um campo de refugiados na Jordânia em março de 2015.
Para a profissional, mulheres e crianças precisam de proteção quando estão tentando receber comida, sabão e itens básicos para viver.
“A última coisa que você precisa é de um homem em quem você deveria confiar e que deveria lhe ajudar te pedindo para fazer sexo com ele e retendo todos os itens que deveriam ser entregues a você”, afirma.
“Estava subentendido que, ao ir aos centros de distribuição, você deveria se submeter a algum tipo de ato sexual para ganhar algo.”
As agências ligadas à ONU e instituições de caridade mencionadas afirmam que não toleram nenhum tipo de violência e se defendem dizendo não estar cientes de casos concretos de abusos envolvendo suas respectivas organizações parceiras na região.

Curta nossa Fanpage no Facebook

Seu Portal de últimas notícias das cidades de Barueri, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Osasco, São Paulo e região de Alphaville e Granja Viana.

Publicidade


Contato

Telefone
(11) 9 8476-9654

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2019 - Jornal NC. Todos os direitos reservados