Da sala de aula para o futuro: tecnologia que transforma a educação

Os estudantes têm contato com diversas áreas de conhecimento e fazem atividades em equipe com o uso de ferramentas de tecnologia e novas metodologias de aprendizagem

Publicado em 21/12/2017

O Paraná é o segundo estado brasileiro que mais investe em educação. Segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), em 2016 foram investidos R$ 9,86 bilhões em educação básica, ensino fundamental, superior, profissional, infantil e educação especial. Com 53 unidades no Paraná, o Colégio Sesi também não poupa esforços para transformar a educação das gerações que vão comandar o futuro. Prova disso é o uso de ferramentas de tecnologia e novas metodologias de aprendizagem. Nas salas de aula, os estudantes têm contato com diversas áreas de conhecimento e fazem atividades em equipe, sempre orientados por professores altamente qualificados.

Veja Também: CNH vai virar cartão com chip até 2019


Por que inserir a tecnologia na aprendizagem?

Lilian Luitz, gerente de educação básica e continuada do Sesi no Paraná, responde: “as tecnologias fazem parte do dia a dia dos jovens. É uma geração que nasceu num mundo onde a internet é amplamente utilizada em microcomputadores, celulares e outros dispositivos. Embora eles não tenham dificuldades com o uso das tecnologias, muitos ficam mais focados em redes sociais e não exploram a amplitude das possibilidades desse universo. O Colégio Sesi entende que a tecnologia não pode estar desconectada do processo de aprendizagem e que é papel da escola fazer sua inserção no ambiente educacional, desenvolvendo estratégias de utilização dessas ferramentas voltadas para a educação”, explica Lilian. Os resultados expressivos na formação dos alunos fizeram o Colégio Sesi ser reconhecido por programas internacionais de inovação. A titulação é dada para colégios que utilizam ferramentas do Office 365 para educação e aplicam conceitos inovadores em sala de aula. No Brasil 20 escolas possuem o selo. A ideia de qualificar-se para o programa faz parte de um intenso trabalho de gestão da educação. “Estamos sempre em busca de melhorar a aprendizagem de nossos alunos e tornar a sala de aula mais conectada com as necessidades da sociedade”, conta Lilian Luitz. Os alunos aprendem a utilizar estas tecnologias não apenas para a sala de aula, mas para sua aplicação prática em todas as situações da vida.

Curta nossa Fanpage no Facebook



Publicidade

© 2016 - Jornal NC. Todos os direitos reservados