Mariana: catástrofe social e ambiental irá afetar a população de dois estados e todo um ecossistema

A morte do Rio Doce, já dada como oficial por órgãos técnicos. É o maior crime ambiental da história brasileira

Publicado em 30/11/2015

As causas do rompimento das duas barragens ainda não foram divulgadas, ou esclarecidas, mas muita coisa não está indo bem no local. Os moradores reclamam que a mídia faz parecer que a catástrofe não teve grande proporção, mas na verdade representa um grande impacto ambiental e social.
A Samarco, empresa que tem acionistas da multinacional anglo-australiana BHP Billiton e da Vale S.A., foi multada em R$ 112 milhões, mas esse valor está longe de suprir mesmo que parcialmente os danos que foram causados.
Impacto Ambiental
O mar de lama da Samarco chegou no Espírito Santo, no sábado 21, após percorrer cerca de 400 quilômetros no Rio
Doce deixando um rastro de destruição.
Pesquisadores informam que independente da lama ser tóxica ou não, vai impactar profundamente todos os ecossistemas continentais e oceânicos por onde passar.
A praia de Regência é um importante local de desova de tartarugas-marinhas, incluindo a tartaruga-de-couro,
Os crimes de ódio contra muçulmanos aumentaram 300% no Reino Unido na semana que se seguiu aos atentados de
13 de novembro em Paris, segundo dados divulgados no dia 23. Uma “ampla e imensa maioria” dos 115 ataques registrados foram contra mulheres e jovens muçulmanas, entre 14 e 45 anos, que se vestiam de acordo com a tradição islâmica, informou o diário The Independent, com base em relatório de um grupo de trabalho interministerial. Os autores dos ataques foram majoritariamente homens brancos entre 15 e 35 anos. O relatório admite que o número real de ataques é superior ao que foi divulgado. O documento baseia-se em dados registrados pela linha telefônica de ajuda Tell Mama, dirigida às vítimas de ataques verbais ou físicos contra muçulmanos ou mesquitas. Grande parte dos ataques denunciados ocorreu em locais públicos, como autocarros e comboios. “Muitas das vítimas disseram que ninguém as ajudou ou sequer consolou, o que significa que se sentiram vitimiza espécie ameaçada de extinção, apesar dos membros do Projeto Tamar ter removido os ovos, ainda há um grande risco de perda.

O mar de lama contém diferentes materiais pesados, como manganês e fósforo. “Aquela lama vai correr a vegetação
e se solidificar, formando uma espécie de capa e esterilizar toda a área, podendo contaminar toda a cadeia biológica”
diz o mestre em Gestão Ambiental Márcio Santos.
Além disso, os seres vivos que vão tentar adaptar-se aquele ambiente, extraindo nutrientes tóxicos, contaminando toda a cadeia alimentar, desde bactérias, fungos e plantas até animais, peixes e pessoas em um processo denominado
bioacumulação. Os rejeitos de mineração irão permanecer no ambiente e nos organismos vivos e poderão causar várias doenças e problemas reprodutivos.
Em vídeo, o Engenheiro Ambiental Herverton Rocha conta que a água do rio exala um cheiro muito forte, pois contém elementos poluentes. Ele cita em seu perfil no Facebook que para quem quiser buscar mais informações sobre o perigo que causa a inclusão de metais pesados na cadeia alimentar, basta pesquisar sobre o “Desastre de Minamata”, um desastre ambiental que ocorreu no Japão, onde milhares de pessoas sofreram de intoxicação por mercúrio. Confira o vídeo na íntegra através do link: http://on.fb.me/1NbwSiL.

Veja Também: Mineradora Samarco pagará R$ 1 bilhão pelos danos em MG

Impacto Social
A comunidade indígena e os pescadores que viviam da pesca tanto no rio quanto no mar têm futuro incerto e se
desesperam com a situação. Nas Redes Sociais Nas redes sociais, muitos questionam a veracidade dos fatos divulgados, entre eles Thiago Nepomuceno, que compartilhou um arquivo de áudio que “viralizou” na Internet. No áudio, Thiago se
identifica como morador da região de Mariana e explica que a lama contém muitos rejeitos e pode ser muito densa,
por isso na região de Bento Rodrigues é possível que muitos corpos não boiem. “Rejeito de minério é uma lama
impossível de nadar”, explica ele, “e nem barco consegue navegar por aquela lama, pois o motor do barco não dá
conta da matéria espessa”. De acordo com ele foram mais de 120 mortos.
Neste link: http://bit.ly/1XbMrgY é possível ouvir o desabafo na íntegra. Em nota em seu perfil no Facebook,
Thiago Nepomuceno diz que não irá divulgar suas fontes, para não prejudicá- los profissionalmente, são bombeiros,
policiais e funcionários da prefeitura que foram orientados a não falar sobre o assunto.
Nas Redes Sociais, a Vale também foi criticada por ser uma das 14 empresas que mais financiaram de campanhas
eleitorais e por investir milhões em propaganda na TV todos os anos.
Estamos de Olho
Após o dano cometido, esperava-se que os políticos se pronunciassem mais sobre o caso: o senador Aécio Neves
(PSDB), ex-governador de Minas Gerais, disse que “Não era o momento para buscar culpados”; já a presidenta Dilma
Rousseff (PT) demorou uma semana para seguir até a região atingida. Sendo que quando ocorreu o atentado a Paris,
na sexta-feira, 13, a presidente levou apenas alguns minutos para emitir uma nota de repúdio; a ex-senadora Marina
Silva, também deixou a desejar, para alguém que acabara de fundar o partido “Rede da Sustentabilidade”. Em seu
site oficial já tem até mensagem de “feliz natal e feliz ano novo”, mas nenhum pronunciamento sobre o acontecido.
Curta nossa Fanpage no Facebook

Publicidade

© 2016 - Jornal NC. Todos os direitos reservados