Corrida espacial: Como empresas estão tomando o lugar dos governos



Publicado em 05/10/2017

Desde o lançamento do primeiro satélite comercial, o Sputnik, em 1957, e do voo de Yuri Gagarin em 1961 (o primeiro a viajar ao espaço), a conquista do universo vem sendo dominada pela rivalidade entre Rússia (então União Soviética) e Estados Unidos - as duas potências chegaram, inclusive, a disputar quem colocaria o primeiro homem na Lua.

Nessa disputa, não havia espaço para empreendedores individuais - eram os governos quem tomavam as rédeas e pagavam pelos vultosos investimentos. Mas uma revolução vem ocorrendo. Avanços tecnológicos estão transformando os modelos tradicionais de operação no espaço. Uma série de empresas promete, agora, baratear o acesso ao espaço, usando desde foguetes reutilizáveis a sistemas de lançamento horizontais.

Veja Também: Robô dentista? Aparelho chinês realiza primeiro transplante de dentes

Os investimentos:
O investimento está aumentando no setor espacial.
Em 2016, essa indústria somou US$ 329 bilhões (R$ 1 milhão), com três quartos do total vindo de empresas - e não de governos.

Curta nossa Fanpage no Facebook

Publicidade

© 2016 - Jornal NC. Todos os direitos reservados