Brasil enfrenta epidemia de sífilis: saiba como se proteger

Apesar de o crescimento ser registrado continuamente há seis anos, somente agora o governo classificou o caso como epidêmico

Publicado em 27/10/2016

Na última semana, o Ministério da Saúde admitiu que o Brasil enfrenta uma epidemia de sífilis. De acordo com o último boletim epidemiológico do governo, de 2010 a 2016, foram notificados quase 230 mil novos casos da doença. Apesar de o crescimento ser registrado continuamente há seis anos, somente agora o governo classificou o caso como epidêmico.
O ministro da saúde Ricardo Barros afirmou que os casos subiram em número significativo. “Estamos tratando o problema como epidemia até para que resultados de redução sejam mais expressivos possíveis. Os recursos estão disponíveis. É preciso que as pessoas se submetam aos testes e aos tratamentos”, disse.

Veja Também: Corpo humano leva 14 dias para se acostumar com horário de verão


A sífilis é uma doença sexualmente transmissível que pode passar décadas desapercebida no organismo de uma pessoa e só depois manifestar-se novamente. Raramente, a doença pode ser transmitida pelo beijo, mas também pode ser congênita, sendo passada de mãe para filho durante a gravidez ou parto. Em 2015, a cada mil bebês nascidos, 6,5 eram portadores de sífilis. Somente cinco anos antes, em 2010, esse número era de 2,4 bebês em cada mil nascimentos. Isso quer dizer que a incidência da sífilis congênita praticamente triplicou em meia década.
Portanto, em tempos de epidemia, é fundamental estar a par de todas as informações relacionadas à doença. O site Minha Vida, parceiro do Catraca Livre, explica tudo sobre a sífilis, como causas, diagnósticos, tratamentos e prevenções.Curta nossa Fanpage no Facebook

Publicidade

© 2016 - Jornal NC. Todos os direitos reservados