Cientistas comprovam que cães entendem palavras e diferentes entonações

Os cachorros, da mesma forma que as pessoas, usam o lado esquerdo para interpretar as palavras e o direito para identificar entonação

Publicado em 02/09/2016

Um estudo de um grupo de pesquisadores húngaros realizado com cachorros de estimação afirma que os mecanismos neuronais que processam as palavras evoluem muito mais do que se pensava e que não são exclusividade do cérebro humano.
Os resultados do estudo publicado na revista “Science” demonstram que “para os cachorros, um bom elogio pode funcionar muito bem como recompensa, mas funciona ainda melhor se palavra e entonação coincidem”, explicou o professor Attila Andics, da Universidade Eotvos Loránd, em Budapeste.
De acordo com ele, os cachorros diferenciam o que e como dizemos e podem também combinar os dois fatores para conseguir uma interpretação correta do que essas palavras realmente significam.
O estudo sugere que em um ambiente rico em conversas, como o caso de um cachorro que vive com uma família de seres humanos, as representações do significado das palavras podem surgir no cérebro. Os cachorros, da mesma forma que as pessoas, usam o lado esquerdo para interpretar as palavras, e uma parte do lado direito para identificar a entonação do que é dito.

Veja Também: Primeiro-ministro do Japão vira Mario e rouba a cena no fim da Olimpíada

Ao todo, 13 cachorros de raças diferentes, entre elas border collie, labrador, pastor alemão e poodle, participaram do estudo. Ele foram colocados em um aparelho de ressonância magnética funcional (FMRI) para realizar análises cerebrais de maneira não invasiva e sem dor, que serviram para medir a atividade cerebral dos animais enquanto eles escutavam a voz de seus donos.
Os cães, segundo Anna Gábor, outra das autoras do estudo, ouviram elogios que eram pronunciadas com entonação neutra e na forma de afago, além de outras palavras que não tinham significado algum para os animais, mas ditas com as mesmas entonações.
Os pesquisadores observaram as regiões cerebrais que diferenciam entre palavras com e sem sentido e as que discriminam entre entonações com e sem afago. O resultado foi que os cachorros ativam o hemisfério esquerdo para processar as palavras que fazem sentido para eles e o direito para identificar a entonação com que as palavras são pronunciadas. Além disso, o centro de recompensa dos animais estudados só foi ativado no momento em que eles escutavam uma palavra de elogio pronunciada com uma entonação de carinho. Este estudo representa o primeiro passo para entender como os cachorros interpretam a fala humana e seus resultados podem ajudar a tornar a comunicação mais eficiente.Curta nossa Fanpage no Facebook

Publicidade

© 2016 - Jornal NC. Todos os direitos reservados