Paraolimpíada que começa em setembro, tem apenas 12% de ingressos vendidos

Abertura e encerramento tem ingressos a partir de R$100. Modalidades de esportes têm entradas com preço mínimo de R$10

Publicado em 25/08/2016

A capital britânica encantou o mundo do esporte para pessoas com deficiência ao realizar um evento de casa cheia e “abraçado” pela mídia local. O britânico Phillip Craven, presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC), sabia que a tarefa de repetir tal sucesso seria mais difícil no Brasil. Só não imaginava quanto.
Faltando duas semanas da Cerimônia de Abertura, no Maracanã, o IPC faz, junto com o comitê organizador da Rio 2016, malabarismos para tentar fazer com que a versão “enxuta” da primeira Paraolimpíada na América do Sul não seja um passo atrás na luta por mais visibilidade e reconhecimento.
Em meio a um programa de cortes de última hora, o evento corre contra o tempo para atrair o interesse de um público que, mesmo para os padrões brasileiros, tem mostrado apatia na corrida para as bilheterias.
O Comitê Rio-2016 informou, na última quarta-feira, que apenas 12% dos ingressos haviam sido vendidos, ou seja, 300 mil entradas. Durante a entrevista coletiva, Eduardo Paes admitiu que a prefeitura poderá fazer um aporte de cerca de R$ 150 milhões para o evento, explicando que parte do déficit se deve à pouca procura por ingressos.
A cúpula do IPC realizou uma entrevista coletiva no Parque Olímpico da Barra em que anunciou um “pacote de austeridade” para reduzir os custos da Paralimpíada. Além da transformação do Centro Olímpico de Deodoro em arenas independentes, sem as áreas comuns, e da redução da força de trabalho nas instalações, o comitê organizador reduziu drasticamente a oferta de ingressos. A carga inicial de 3,1 milhões foi reduzida para 2,4.
“Nunca nos 56 anos de história do movimento paralímpico enfrentamos uma situação como essa. Tivemos sérios problemas, mas ao menos estamos conseguindo ver algum tipo de luz no fim do túnel. As autoridades brasileiras tomaram medidas para possibilitar que ofereçamos a atletas e a espectadores a melhor experiência possível nesses Jogos”, disse Craven.






Nesta terça (16), um desembargador federal manteve liminar que proíbe a União e o município de repassar verbas públicas para o Comitê Rio 2016.
A proibição está mantida até que seja dada ampla publicidade a todas as receitas e despesas. Dados também precisam ser fornecidos ao MPF (Ministério Público Federal) e ao TCU (Tribunal de Contas da União) sobre as receitas e gastos do evento. O descumprimento da ordem judicial geral multa diária de R$ 100 mil.
Modalidades de esportes têm entradas com preço mínimo de R$10
Estão abertas, mais uma vez, as vendas de ingressos para as cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Nesta quinta (2), foi liberado um novo lote de entradas para os eventos, da categoria D, a mais popular, que tem preço de R$ 100, o valor mais baixo para ver cada uma das duas cerimônias.
A abertura, que acontece no dia 7 de setembro no Maracanã, está cercada de segredos, mas algumas atrações já estão sendo reveladas, como, por exemplo, a participação do artista plástico Vik Muniz, que fará uma obra de arte ao vivo.
Grandes nomes da música brasileira, como Maria Rita, Diogo Nogueira, Xande de Pilares, Monarco, Teresa Cristina, Hamilton de Holanda e Pretinho da Serrinha também participarão do evento.
Já a cerimônia de encerrramento segue cercada de segredos. Também ainda é possivel encontrar as ingressos para os jogos. Existem cerca de 2,5 milhões de ingressos disponíveis para diversos esportes, com preços que partem de R$ 10 (meia entrada, R$ 5). As modalidades mais procuradas são atletismo, basquetebol em cadeira de rodas, goalball, natação e rúgbi em cadeira de rodas.Curta nossa Fanpage no Facebook


Publicidade


Contato

Telefone
(11) 98983-6042

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2018 - Jornal NC. Todos os direitos reservados