Menino canadense pode ter descoberto cidade maia perdida com ajuda do Google Maps



Publicado em 12/05/2016

Um menino canadense pode entrar em breve para a história da humanidade por ter descoberto, sem sair de casa, uma cidade maia perdida, no México. Aos 15 anos, William Gadoury, sabendo que a civilização antiga construía suas comunidades baseada em constelações, cruzou imagens de satélite da agência espacial canadense com dados do Google Maps para localizar a região, na Península de Iucatã. As informações são do jornal “Daily Mail”.
Gadoury estudou a localização de 117 cidades maias conhecidas e encontrou a ligação delas com a posição de 23 constelações. Ao investigar uma delas, ele viu três estrelas, mas apenas duas cidades. O rapaz resolveu usar o Google Maps e os dados que tinha da agência espacial canadense e localizou, em uma parte inacessível de uma floresta mexicana, formas geométricas que pareciam ser uma cidade.

Veja Também: Hunza, o povo que não envelhece e vive em média 120 anos

Segundo a publicação “Montreal Journal”, Gadoury, na verdade, achou 30 pequenos prédios e uma pirâmide de 86 metros que, até então, não seriam conhecidas. Para especialistas, o adolescente pode ter encontrado a quinta maior cidade maia, que foi batizada de “Boca de Fogo”.
“Foi extraordinário (ao distinguir a pirâmide e as outras estruturas). Eu não entendia porque os maias construíram suas cidades longe dos rios, em terras marginais e nas montanhas. Eles tinham outra razão. Como eles adoraram as estrelas, fui verificar a hipótese. Fiquei realmente surpreso e animado quando eu percebi que as mais brilhantes estrelas das constelações combinavam (com a posição) das maiores cidades maias”, contou Gadoury.
Está sendo organizada uma expedição para o local após a descoberta. Gadoury espera vir ao Brasil em 2017 para uma feira de ciências internacional.


Publicidade


Contato

Telefone
(11) 98983-6042

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2018 - Jornal NC. Todos os direitos reservados