Governo anuncia volta da CPMF com alíquota de 0,2%

Previsão é arrecadar R$ 32 bilhões com o imposto.

Publicado em 15/09/2015

O governo anunciou a volta da CPMF para tentar equilibrar as contas públicas. Para 2016, a previsão é de um corte de gastos de R$ 26 bilhões e da volta da CPMF, extinto no segundo governo Lula.
As medidas que vão injetar mais dinheiro nos cofres do governo são os aumentos de impostos: perto de R$ 34 bilhões. Quase tudo, R$ 32 bilhões, virá pela volta da CPMF, que já foi cobrada na década de 1990 e acabou em 2007.
A proposta é que nas operações bancárias, saques, transferência, em cada compra, terá a cobrança de 0,2%. O dinheiro vai ser usado para diminuir o déficit da previdência social. O ministro da Fazenda explicou que a CPMF foi escolhida por ter menor impacto na inflação.
Segundo Levy o imposto deve durar quatro anos, “Essa contribuição é uma contribuição que os bancos estão preparados a implementar relativamente rápido. É uma contribuição que tem uma grande transparência, ela é uma contribuição que, inclusive, alcança o informal, alcança muitos que estão fora do circuito até a legalidade. Então, ela tem até um aspecto social importante”, declara Joaquim Levy.


Publicidade


Contato

Telefone
(11) 98983-6042

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2018 - Jornal NC. Todos os direitos reservados