Em Pernambuco, pais abandonam mães de bebês com microcefalia

“Ele me culpou por ela nascer assim. Disse que a menina era doente porque eu era uma pessoa ruim” afirma a mãe da criança

Publicado em 04/02/2016

Em Pernambuco, Estado com maior número de casos de microcefalia do país, muitas mães têm sido abandonadas pelos pais das crianças, principalmente após descobrirem que o filho é portador da má-formação no cérebro. Médicos do Estado afirma que isso tem acontecido com frequência e afeta mães jovens que têm relações instáveis ou gravidez indesejada.
Os médicos que atendem pacientes com microcefalia relatam que os homens têm mais dificuldade em aceitar a deficiência do filho. “Eu me surpreendi cm a quantidade de mães que estão cuidando do filho sozinhas, porque o pai simplesmente resolveu largar a família” afirma a pediatra que preferiu não se identificar. Segundo ela, o abandono também acontece com casais estáveis e de relações mais duradouras.


Veja Também: Vacina contra o Zika não deve ser concluída em menos de dois anos, diz ministro da Saúde


Após dois anos de namoro e nove de casamento, Carla Silva, de 32 anos, foi abandonada pelo pai dos seus três filhos quando ainda estava internada na maternidade, o motivo, era a condição da filha caçula, Nivea Heloise, que nasceu com menos de 28 centímetros de perímetro encefálico. “Ele me culpou por ela nascer assim. Disse que a menina era doente porque eu era uma pessoa ruim” afirma Carla.
Carla contraiu o Zika vírus no segundo mês de gestação, mas disse que já estava preparada psicologicamente para o pior. “Não foi um choque. Eu vi e me tranquilizei, mas o pai dela, não” conta.Curta nossa Fanpage no Facebook


Publicidade


Contato

Telefone
(11) 98983-6042

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2018 - Jornal NC. Todos os direitos reservados