Idosa de 68 anos morre após inalar fumaça tóxica no Guarujá

A causa da morte foi de insuficiência respiratória, pneumonite química e inalação de fuligem e gases tóxicos

Publicado em 19/01/2016

Leia Magalhães de Maria morreu ontem (18), aos 68 anos após inalar fumaça tóxica produzida pelo incêndio de contêineres com produtos químicos no Porto de Santos, Leia morava no bairro Sítio Paecara, no distrito de Vicente de Carvalho (Guarujá).
A idosa foi atendida com náuseas, vômito e asfixia em um hospital no Guarujá, um de seus filhos a levou para o interior de São Paulo, em Jundiaí e foi encaminhada para o Hospital das Pitangueiras.

Veja Também: Vazamento de gás no Porto de Santos libera nuvem tóxica e atinge quatro cidades no litoral Paulista

De acordo com a Secretaria de Saúde de Jundiaí, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do município foi acionado e ela se queixava de vômito persistente há quatro dias. “Ela apresentava quadro instável e foi encaminhada para o Hospital Pitangueiras (Sobam), instituição particular, onde faleceu”, diz a secretaria por meio de nota.
Segundo laudo do Instituto Médico-Legal (IML), a causa da morte foi de insuficiência respiratória, pneumonite química e inalação de fuligem e gases tóxicos.
A empresa LocalFrio, responsável pelo acidente, ainda não enviou uma nota sobre a morte de Leia Magalhães de Maria.
Curta nossa Fanpage no Facebook


Publicidade


Contato

Telefone
(11) 98983-6042

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2018 - Jornal NC. Todos os direitos reservados