Ciclista brasileira Isabella Lacerda é suspensa por doping



Publicado em 24/08/2017

A ciclista brasileira Isabella Lacerda foi suspensa pela União Ciclística Internacional (UCI) por quatro anos por doping. O nome da atleta, natural de Itaúna, no Centro-Oeste de Minas, foi incluído na lista de competidores inelegíveis na última sexta-feira por anormalidades no passaporte biológico – histórico de exames –, informou a UCI. Ela havia sido suspensa provisoriamente em janeiro deste ano. A punição vai até 2021.
No sábado, a ciclista divulgou nota em que se disse desrespeitada pela instituição e que colaborou com a apuração do caso, forneceu os dados solicitados, mas foi condenada sumariamente com base em uma hipótese acadêmica, mesmo testando negativo nos testes para substâncias proibidas.

– Durante todo o ciclo olímpico fui a única atleta do MTB feminino testada fora das pistas, onde preenchia todo trimestre o endereço de onde estava, onde dormiria e um horário para que pudessem me encontrar nesse local para caso quisessem realizar um exame antidoping, e assim, todos meus exames foram negativos para qualquer substância – informou na nota a ciclista, que preferiu não se manifestar quando procurada pela reportagem.

Veja Também: Massa poderá dar continuidade na Fórmula 1 em 2018

O nome da competidora estava na lista provisória da UCI desde janeiro, quando foi notificada pela UCI a prestar esclarecimentos. Segundo ela, foram enviadas ao comissário encarregado pelo caso “todas as provas que confirmam as oscilações do meu organismo, por exemplo, a dengue, o treinamento em barraca de altitude e o uso de antibióticos, tudo isso documentado e com respaldo médico”. Na época, a suspensão provisória se deu com base em parecer de especialista da UCI, amparado por estudos acadêmicos que divergiam do laudo médico apresentado pela atleta.

Curta nossa Fanpage no Facebook


Publicidade


Contato

Telefone
(11) 98983-6042

Endereço
Edifício Beta Trade
Rua Caldas Novas, 50, Sala 175,
Bethaville I - SP, CEP 06404-301.


©2014 2018 - Jornal NC. Todos os direitos reservados